Bailarina cadeirante participa de espetáculo de dança na Virada Cultural de São Paulo

A cadeirante Gabriela Carvalho, de 33 anos, subiu ao palco da Virada Cultural Paulista 2017 na manhã deste domingo (21), em São Paulo. Ela apresentou o espetáculo de balé ‘Dançando sobre rodas”.

Para Gabriela, que é do Vale do Paraíba, participar do espetáculo foi uma conquista – há dois anos ela não considerava a possibilidade de dançar sobre uma cadeira de rodas, muito menos dançar em grandes espetáculos. Gabriela nasceu prematura, tem paralisia cerebral e nunca andou.

“Eu sempre sonhei em ser dançarina, desde criança, mas sempre tive muita vergonha disso. Eu ficava dançando sozinha no meu quarto, escondida, sem deixar ninguém ver. Nem a minha mãe eu deixava ver“, disse Gabriela.

O sonho virou realidade há dois anos, quando Gabriela conheceu o professor de dança Mateus Vasconcellos, de 26 anos. Os dois foram apresentados de maneira inusitada, por meio de uma postagem nas redes sociais feita pela Gabriela.

“Um belo dia, há dois anos, postei no Facebook que eu amava dançar. Uma amiga minha marcou o Mateus na minha publicação e ele veio conversar comigo. Ficamos conversando por uns três meses, até que ele me disse que tinha criado o projeto. Na hora eu nem acreditei que seria possível”,explicou a bailarina.

Projeto

Durante os três meses em que o projeto era criado, Mateus estudou técnicas para conseguir desenvolver coreografias para cadeirantes. Ele conseguiu com que uma escola de dança aceitasse receber o projeto e criou a companhia de dança sobre rodas, chamada ‘Between’.

“Eu dou aulas de dança desde os 15 anos e nesse período eu já havia trabalhado com balé clássico para cegos. Com a Gabriela foi tudo novidade, foi um desafio maior porque são dois elementos, a dançarina e a cadeira. Temos que levar em conta toda a questão psicológica também, o medo de cair e tudo mais”, explicou Mateus.

“Com o tempo fomos realizando apresentações em escolas e festivais de música. Criei uma página no Facebook para ir divulgando tudo e, atualmente, mais uma cadeirante irá começar a fazer aulas com a gente. Já a apresentação da Virada Cultural foi pelo método convencional, nos inscrevemos e fomos convidados. Estou muito feliz“, afirmou o professor de dança.

Para Gabriela, a apresentação na Virada Cultural foi resultado de muito trabalho, ensaios, tombos e, acima de tudo, a prova de que qualquer pessoa pode alcançar seus sonhos. “Eu quero poder incentivar as pessoas a realizarem seus sonhos. Sei que jamais vou conseguir mudar o mundo, mas que eu consiga mudar a cabeça de uma pessoa que seja, já será uma grande vitória”, concluiu a bailarina.

FLATULÊNCIA OU EXCESSO DE GASES

A maioria dos cadeirantes tem problemas com evacuação e gases, isso acontece porque não andarmos e é um dos problemas que talvez mais nos incômoda mas podemos fazer alguns procedimentos para aliviar. Fique calmo – o estresse emocional pode piorar o problema de flatulência. O trato gastrointestinal é extremamente sensível à ansiedade, raiva e depressão. Uma rede de nervos conecta esta área do corpo ao cérebro e, quando você está sob estresse, os músculos do abdome se contraem. O resultado são espasmos doloridos. Comer sob estresse também pode contribuir para a flatulência porque você tende a engolir ar.

Faça exercícios – algumas vezes, a flatulência ocorre em decorrência de um processo digestivo problemático e não por uma dieta errada. Isso acontece porque a passagem de alimentos pelo trato digestivo pode ser atrapalhada.

Os exercícios ajudam a regular esse processo. Por isso, quando as coisas ficarem desconfortáveis, é possível aplicar pressão sobre o seu abdome ou deitar no chão de barriga com um travesseiro dobrado sob seu abdome para ajudar a aliviar o desconforto do excesso de gases. Sentar-se no chão com os joelhos encostados no peito e seus braços abraçando as pernas enquanto balança seu corpo para frente e para trás também pode ajudar, assim como colocar uma bolsa de água quente sobre o seu abdome.    Relaxe – se você for fazer uma longa viagem de avião, use roupas folgadas.

Calças apertadas podem contrair o abdome e causar dor.

Acabe com os arrotos – hábitos que podem levar ao excesso de arrotos, tais como engolir ar e mascar chiclete, também podem causar problemas como flatulência.

Fique ativo – pastilhas de carvão ativado, disponíveis nas farmácias sem a necessidade de receita, podem auxiliar a absorver o excesso de gás e acalmar o seu problema de flatulência. No entanto, se estiver tomando qualquer medicamento receitado pelo médico, primeiro pergunte ao farmacêutico se o carvão ativado irá interferir na ação dele.

Busque o alívio – se você não resistiu a um prato de feijão temperado no almoço e está com medo de voltar no carro com seus amigos, pare na farmácia mais próxima. Há muitos produtos liberados que contêm simeticona, que podem ajudar a diminuir o excesso de gases.

Seus hábitos alimentares podem prevenir a flatulência. Na próxima seção, vamos falar de comidas que estimulam a produção de gases e devem ser evitadas.

Deixe um comentário em FLATULÊNCIA OU EXCESSO DE GASES Ver mais posts sobre: Vida Tags: , , ,

Ricardo
Falar sobre si não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Acho que por isso mesmo adiei tanto a atualização dessa página! Mas vamos tentar né? Você já teve a chance de conviver com um capricorniano? Pois é, aquele jeito louco, sonhador, aventureiro, e nem sempre com os dois pés no chão… Esse sou EU! Ricardo Tostes Pinto Perdigão, ou pra vocês, apenas Ricardo Tostes.

Como realizar uma transferência de um cadeirante para a sua cama!

Transferência cadeira de rodas para a cama e vice-versa com uma pessoa

A cadeira de rodas deve estar:

Travada;

Os pedais devem ser retirados ou rodados lateralmente;

O mais perto possível da cama;

O braço mais próximo da cama deve ser retirado.

O  paciente deve estar:

Sentado à beira da cadeira de rodas, com os pés apoiados no chão e rodados para o lado contrário da cama.

O lado melhor deve estar ao lado da cama.

Como transferir:

1-  O paciente inclina o seu tronco para a frente;

2- Agarre-o pela cintura, pelas axilas ou pelos cotovelos e nunca pelo ombro do lado lesado. Caso seja ele muito pesado e tenha necessidade de o transferir sozinho, também pode usar um cinto de transferência.

O cuidador encosta os pés e joelhos aos seus pés e joelhos, até o paciente se endireitar e ficar de pé;

O cuidador ajuda o paciente a rodar, posicionando-se para se sentar na cama.

Todos estes passos podem ser invertidos para se transferir o doente da cama para a cadeira de rodas.
O cuidador deve sempre posicionar o doente de maneira confortável e segura depois da transferência.

SEQUÊNCIA DA TRANSFERÊNCIA

Pôr a cadeira de rodas ao lado da cama, bem travada e com os pedais levantados ou rodados para fora. Calçar o doente com sapatos de borracha ou com calçado anti-derrapante.

Sentar a pessoa na beirinha da cama (ou cadeira de rodas).

Travar os pés e os joelhos do doente com os pés e joelhos do cuidador, até que o doente fique de pé.

 

Transferência da cadeira de rodas para a cama com 2 pessoas

• Uma pessoa deve colocar-se atrás da cadeira de rodas e agarrar o doente pelos antebraços. A pessoa a transferir deve colocar as mãos conforme o desenho;

• A outra pessoa deve segurar as pernas do paciente pela parte de trás dos joelhos e pés,
• Combinar quem dá o comando e em conjunto devem elevar o paciente e transferi-lo para a cama.
Todos os outros princípios da transferência da cadeira de rodas para a cama apenas com 1 cuidador se mantêm. Para ser mais fácil a transferência deve-se retirar o braço da cadeira de rodas do lado da cama.

Vila de Natal ganha acessibilidade para cadeirantes em Gramado

Concretagem deu novo visual e condições de acesso à Vila que abriga Casa do Papai Noel.

Um dos mais tradicionais pontos de comércio do Natal Luz, em Gramado, a Vila de Natal ganhou em 2013 acessibilidade total para pessoas com necessidades especiais. O piso do local, que reúne pequenas casas de artesanato e abriga espetáculos culturais, foi concretado após um investimento de R$ 200 mil liberados para a 28ª edição do festival. Nesta quinta-feira, 5 de dezembro, comemora-se o Dia da Acessibilidade.

Famílias com carrinhos de bebê também ganharam um incentivo extra para poder conferir de perto os fabricados manualmente pelos 25 artesãos cadastrados na Vila. Até o ano passado, o chão da mesma área era coberto por uma espécie de brita, o que chegou a gerar cenas de constrangimento, agora eliminadas.

“Foram várias situações embaraçosas que passamos. Algumas delas com cadeirantes. Em outras, carrinhos de bebê tinham que ser levados na mão. Procurávamos ajudá-los. Nós vivemos do turismo, se não cuidarmos, perdemos o crédito. Ficou muito melhor agora“, diz a artesã Mariles Zanatta Bertolucci, presente em 22 das 28 edições do Natal Luz.

“O mais importante da reforma foi permitir o acesso dos cadeirantes. Outra coisa boa pra nós foi o rebaixamento de uma cerca viva que era muito alta e agora está podada.O que ainda falta são espaços com mais flores e maior atenção das agências de turismo para que a visita à Vila de Natal seja incluída nos roteiros de quem se hospeda aqui”, completa Mariles.

A Vila de Natal não se limita ao artesanato. A atração ainda abriga a Casa do Papai Noel, aberta das 17h às 19h30, de terças a domingo, além de um Parque de Diversões e seis modalidades de espetáculos gratuitos, com atores, palhaços, e músicos. Apresentações de um coral formado por 30 crianças de um programa de artes local integram a programação.

“A Vila está mais linda e acessível. Está também mais limpa e aberta. este era nosso grande problema”, comemora a diretora da Vila neste ano, Adriane Azevedo.

O Natal Luz

Com uma expectativa de público próxima à marca de 1,5 milhão de pessoas durante os 73 dias de programação, o 28º Natal Luz é apontado pelos organizadores como o segundo maior evento em bilheteria do Brasil, atrás apenas do Rock in Rio. Mais de 360 mil ingressos para as atrações pagas foram disponibilizados, o que representa um crescimento de 30% em relação a 2012.

Os números que impressionam refletem a dimensão da maior festa natalina do país, iniciada no dia 1º de novembro e com término só no dia 12 de janeiro de 2014. No total, ocorrerão mais de 500 apresentações das 20 atrações que integram a programação de 2013.

Segundo os organizadores, mais de R$ 4 milhões foram investidos apenas na montagem da estrutura física da festa, que contará com atrações inéditas e a promessa de alta tecnologia. A expectativa é de registrar um incremento de 30% na renda hoteleira da cidade e da região.

FERNANDO FERNANDES ENCARA OUTRA AVENTURA ALÉM DOS LIMITES

Fernando Fernandes é um homem “Além dos Limites”. Ao melhor estilo repórter-aventureiro, o ex-modelo, participante de reality show, atleta paralímpico estreia nova empreitada na TV. Fernandes precisou aliar sua força física e mental para cumprir 200 quilômetros no deserto de sal da Bolívia em uma handbike.

Aos 36 anos, Fernandes define seu corpo como o de um “monstro” da cintura para cima e de alguém que requer cuidados especiais da cintura para baixo. Foi levando a sua metade “monstro” ao limite que cumpriu o desafio para a série “Além dos Limites”, do canal Off.

“Aprendi que a vida, apesar de dura, é meio mágica! Lá vou eu, nas minhas tentativas, às vezes meio cegas, tentar acertar os passos! Sem me preocupar se a próxima etapa será o tombo ou um voo, disse Fernandes.

As novidades de Fernando Fernandes para 2017 também não param por aí. O agora repórter aventureiro prepara uma biografia para os próximos meses.

Fernando Fernandes perdeu o movimento das pernas em 4 de julho de 2009. De volta para a casa depois de um jogo de futebol com os amigos, o ex-BBB dormiu ao volante e sofreu um grave acidente de carro. O esporte foi o caminho que encontrou para superar os momentos tristes.