Guia para Pais de Exercícios para o Tratamento da Distrofia Muscular de Duchenne

O que acontece com os músculos?

Os músculos esqueléticos permitem que nos movamos, que fiquemos em pé e que realizemos movimentos coordenados e possamos realizar uma variedade de movimentos necessários as nossas atividades diárias. Cada músculo é composto por um grande número de fibras. O número e proporção de cada tipo em cada músculo depende do trabalho que cada músculo faz. Músculos são fixados em ossos através de partes denominadas tendões. Qunado o músculo estica ou encurta ele desencadeia um movimento. Na Distrofia Muscular de Duchenne as fibras musculares são substituídas por gordura e a função normal do músculo fica prejudicada. A velocidade que as alterações ocorrem pode variar entre as crianças, sendo que alguns músculos são afetados mais precocemente.

Contraturas

Os músculos estão conectados aos ossos através dos tendões enquanto os ligamentos (os tecidos em torno das articulações que conectam os ossos) controlam a extensão ou a escala do movimento. Quando os músculos se tornam fracos ou não são usados ficam encurtados assim como os ligamentos e os tendões. Isto significa que a articulação fica rígida , em um sentido maior que outro resultando em uma posição fixa, que geralmente resulta em deformidade.

Se a articulação fica rígida o músculo não pode trabalhar normalmente e se torna ainda mais fraco por desuso. Quando a distrofia muscular avança as contraturas são mais frequentes nos tornozelos, joelhos e quadril. As contraturas são causadas em parte pela posição de andar (na ponta dos pés), na curvatura do joelho, o alargamento da base para manter o equilíbrio da marcha. Quanto a criança passa a permanecer mais tempo sentada as contraturas se agravam.

É importante iniciar a fisioterapia logo que possível, de preferência antes do aparecimento das contraturas, pois com exercícios é mais fácil preveni-Ias do que tratá-las.

As dificuldades são crescentes com fraqueza ao andar e vestir mas há maneiras que podem ajudar a sua criança manter a sua habilidade e, dentro do possível, a independência sem causar stress e evitando prejuízo da educação e recreação. É importante lembrar que as pesquisas para um tratamento que leve a cura prosseguem e quando este tratamento estiver disponível as articulações não devem estar rígidas ou deformadas. Esta é uma forte razão para impedir as contraturas e se manter os músculos fortes por mais tempo possível.

Fisioterapia

Fisioterapia significa o tratamento por exercício físico e tem um papel importante para manter a função muscular na sua melhor potência. Seus alvos principais são:

1) Fornecer uma avaliação física precisa e contribuir com estas informações para as decisões sobre os cuidados futuros;

2) Minimizar o desenvolvimento de contraturas, com exercícios passivos;

3) Manter a força muscular por exercícios;

4) Prolongar a mobilidade e função; por meio de órteses, coletes etc. prescritos por especialistas.

O tratamento fisioterápico deve ser realizado por um profissional especializado mas alguns exercícios simples podem ser realizados em casa. Para obter melhores resultados, é preciso fazer regularmente os exercícios, os quais passarão a fazer parte da vida normal do doente. Este livreto descreve exercícos que podem ser orientados por pais ou pelos que cuidam dos doentes. É preciso discutir com o profissional que cuida da criança a indicação para realizar estes exercícios.

Exercícios de alongamento passivo

É uma técnica simples, usada para esticar os músculos que estão tensos ou encurtados. Nela, movem-se lenta e energicamente as articulações, de modo a conseguir o máximo de extensão, mantendo esta posição durante 30 segundos. A criança deve estar completamente relaxada e deve-se ensiná-la a não fazer qualquer movimento, nem a resistir ao exercício. Se o movimento se faz com demasiada rapidez, pode acontecer que a criança faça resistência ou se assuste. Os exercícios de alongamento não devem provocar dor, mas uma sensação de esticar suave e mantida. Nem a articulação, nem os músculos se lesionam se estas instruções forem seguidas rigorosamente. Os exercícios devem ser feitos com firmeza, mas não de modo agressivo. Algumas crianças apercebem-se que, se se queixarem, a pessoa que está a fazer os exercícios interrompe-os. Mas deste modo desenvolvem-se as contraturas irreversíveis, que afinal lhes causam maior desconforto do que os exercicios. Por isto, para benefício da criança, é importante continuá-los, tendo em conta que tanto a firmeza como o carinho são essenciais. Apesar de ser indiferente a hora a que se fazem os exercícios, é necessário fixar-se uma rotina, para que não sejam esquecidos. Os movimentos devem executar-se todos os dias, de preferência após um banho quente. Embora algumas crianças protestem um pouco, uma vez estabelecida a rotina, ganham confiança e geralmente deixam de protestar.

 

Os Tornozelos

A criança deve estar deitada de costas e relaxada. A pessoa que faz os exercícios deve estar de lado. Coloque uma mão sobre a planta do pé com os dedos virados para o calcanhar, que deve ficar firmemente seguro (embora sem forçar), entre o polegar e os outros dedos. Entretanto, a outra mão deve manter o joelho esticado. Depois, suave mas firmemente, empurrar o pé até fazer um ângulo reto (900), ou o mais perto possível dele, mas não deixe que o joelho se dobre. Se entretanto encontrar resistência ou tração, deve manter a posição uns momentos, para, a seguir, aumentar gradualmente o movimento do pé, até ganhar mais alguns graus, mantendo esta nova posição durante uns 30 segundos.

O movimento deve ser repetido pelo menos 20 vezes em cada pé. Tenha o cuidado de verificar que, enquanto realiza este movimento, é todo o pé que se move e não só os dedos.

Os Joelhos

Os joelhos apresentam contraturas mínimas até que o paciente passe a utilizar cadeira de rodas, mas é importante preveni-las por que elas prejudicam muito a marcha. .Para alongar os joelhos, a criança fica na mesma posição do exercício anterior. Com uma mão, agarra-se firmemente o tornozelo, como no exercício anterior, mas a outra faz agora força sobre a coxa, mesmo acima do joelho.

O pé move-se, como no exercício anterior, para cima, o tornozelo fica levantado, de modo a esticar o joelho. Outra maneira de esticar os joelhos é permanecer deitada de barriga para baixo com uma almofada sob as coxas (não sob os joelhos) (Fig 3). Isto faz com que o peso da perna e do pé estiquem o joelho. Isto é mais simples de fazer se a criança estiver deitada de bruços. com os pés fora da cama por exemplo, enquanto assiste televisão

Os quadris

Os quadris são controlados por alguns dos mais poderosos músculos do corpo. Os dois grupos musculares com mais tendência a apresentar contratura são os que elevam ou fletem a coxa (flexoresdo quadril) e os que movem o quadril para fora ou lateralmente (abdutores do quadril). Há 3 formas de alongar os músculos flexores do quadril. Estes exercícios devem ser realizados 10 vezes em cada lado:

1) A criança fica deitada de lado, com as pernas esticadas. A pessoa que faz os exercícios coloca-se atrás dela. Põe-lhe uma mão sobre o quadril, de modo que ele fixo, a outra mão sob a coxa do mesmo lado. Puxa para trás a perna, para si, de forma a esticar o quadril.

Se você optar por este método tenha a certeza de fixar o quadril e utilizar seu joelho como apoio e como coxim. Repita este alongamento no outro quadril.

2) Aqui, a criança é colocada de barriga para baixo. Apoie uma mão sobre as nádegas e a outra mão sob a coxa, acima do joelho, levantando a coxa para cima e mantendo toda a perna esticada.

3) Nesta forma, a criança fica de barriga para cima. A perna oposta (aquela que não vai ser alongada) é dobrada até ao peito e mantém-se assim firmemente. Se for possível, deve ser a criança a mantê-la assim. Põe-se uma mão sobre a coxa do lado a alongar, mesmo acima do joelho, empurrando para baixo.

Outros músculos do quadril (que ligam a região posterior e inferior das costas à perna) ajudam a controlar o ângulo da pelve e pode afetar a curvatura da coluna. A tensão destes músculos pode ser observado se ao andar a criança vira o pé para dentro. Para alongar estes músculos, a criança deve ficar deitada de costas e a pessoa que faz os exercícios, a seus pés e um pouco de lado. Levanta a perna que não vai ser esticada, de modo a que não impeça os movimentos da outra. A perna que vai ser exercitada desloca-se para baixo da outra, até à linha média do corpo. O joelho deve ficar esticado. Este exercício deve também ser repetido 10 vezes em cada perna.

Cotovelos e Punhos

Nos estágios iniciais e intermediários da Distrofia Muscular de Duchenne é raro que estas articulações tenham algum comprometimento. Entretanto, quando a criança ficar mais tempo na cadeira de rodas é importante iniciar o alongamento destas articulações para evitar a rigidez articular. Todos os exercícios devem ser realizados 10 vezes em cada lado.

a) O braço fixa-se firmemente com uma mão, enquanto que com a outra mão se mantém a mão da criança com a palma virada para cima. Depois, estica-se suavemente o cotovelo para baixo.

b) Os movimentos de rotação do braço, embora não sejam muito amplos, são muito importantes porque permitem levar a mão à boca ou alcançar objetos com mais facilidade. Para preservar estes movimentos. sustenha o braço como no exercício anterior (a), mas agora, com a outra mão, dê a mão à criança, com os dedos esticados. Gire de modo que a palma da mão fique ora para cima, ora para baixo, mantendo o ombro fixo.

c) O punho estira-se agarrando o antebraço com uma mão. Coloque a palma da sua outra mão contra a palma da mão da criança, empurrando o punho para trás. Deve procurar manter os dedos esticados, pois, se estiver com o punho fechado, desaparece a ação de alongamento dos tendões.

Ombros

Quando se vestir é importante fazer o movimento completo do ombro com elevação do braço acima da cabeça procurando manter o ombro paralelo a cabeça.

Órteses noturnas

Como o nome sugere são acessórios utilizados a noite para ajudar na prevenção das contraturas. Eles podem ser feitos de vários materiais. Ele é necessário só para os tornozelos e se iniciam após os dedo do pé até abaixo do tornozelo. É necessário que sejam feitos sob medida, que sejam confortáveis e de baixo peso.

Trabalhos mostram que o uso de órteses noturnas associado a exercícios de alongamento é a forma mais eficaz de retardar o desenvolvimento de contraturas. Não substituem os exercícios de alongamento e são úteis antes do aparecimento de contraturas.

Correções da Postura

Por causa das fraqueza muscular os portadores de Duchenne passam a adotar posições viciadas. É extremamente importante que se procure corrigir estas alterações de postura.

Sentado

Quando estiver sentado os pés devem ficar a 900. O assento da cadeira deve ser firme e não demasiadamente largo. As costas da cadeira devem ser firmes e planas, mas confortáveis, inclinadas no máximo a 100 além do angulo reto (900). A profundidade do assento deve ser equivalente ao tamanho da nádega de modo que o paciente não fique sentado com parte da nádega. Os braços da cadeira devem estar a uma altura que permitam que a criança descanse os cotovelos, sem ter que encolher os ombros. Por vezes almofadas são necessárias para melhorar a adaptação da cadeira. Quando sentada a criança deve distribuir o peso entre ambas as nádegas. Muitas vezes uma cunha é necessária para ser colocada entre os joelhos para manter a posição. A escolha correta da cadeira é essencial para o bem estar da criança, tendo em conta que esta deverá adaptar-se às diversas fases da doença. Atenção precoce a estes cuidados contribui para prevenir as contraturas e a escoliose (desvio da coluna).

É importante movimentar o joelho em linha reta da melhor maneira possível tendo o cuidado de observar se a criança não está se inclinando para trás.

Este exercício pode ser realizado com mais intensidade se a perna for mantida extendida até a contagem de 10. Repita 20 vezes com um descanso de 30 segundos em cada tentativa.

Tendo conseguido estes movimentos o exercício pode se realizado com a colocação de um peso (saco de 1Kg de arroz ou açúcar). É muito importante ressaltar que os exercícios contra resistência ou peso não devem ser feitos se a criança não é capaz de esticar o joelho completamente.

Deitado de Lado

A criança deita-se de lado (podendo-se colocar uma almofada atrás das costas para dar mais suporte, se necessário). Com as pernas juntas e esticadas, levantar a perna para cima e para trás, afastando-se o mais possível da perna que fica sobre a cama.

Deve repetir 10 vezes. Este exercício pode ser dificultado se, quando a perna estiver mais afastada, se mantém assim enquanto se conta até cinco. Depois, a criança vira-se para o outro lado e repete o exercício com a outra perna 10 vezes.

Deitado de Bruços

a) Primeiro uma perna e depois a outra é elevada acima da altura do quadril. Atenção deve ser dada para que a perna se eleve e não somente gire. Repetir o exercício 10 vezes.

b) Na mesma posição, elevar cada braço para cima, com o cotovelo esticado. Repetir 10 vezes para cada braço.

Deitado de costas

Tentar sentar sem usar os braços (que devem estar dobrados atrás do tórax). O queixo deve estar dobrado de modo que pareça que o paciente rolou para cima. Repetir 5 vezes. Há duas maneiras de realizá-lo:

a) os pés e as mãos podem ser segurados para auxiliar mas deve-se ter certeza que a criança faz o máximo de esforço que ele pode; não o puxe para cima apenas.

b) Pode iniciar-se o exercício sem estar completamente deitado, colocando almofadas por trás das costas e da cabeça.

Sentado no chão ou em uma superfície dura

 

Apoiado sobre as mãos, tentar elevar as nádegas do solo. Quando não conseguir, colocar uns livros sob as mãos (fig 16). Este exercício deve repetir-se 5 vezes.

Exercícios de Resistência Global

Os exercícios anteriores tem como finalidade reforçar alguns grupos musculares, especialmente os dos quadris e joelhos. No entanto, nos movimentos do dia-a-dia, usamos combinações de músculos que trabalham ao mesmo tempo, como, por exemplo, quando andamos ou quando nos sentamos. Frequentemente fazemos movimentos de rotação (girar). Os exercícios das figuras 17 e 19 são especialmente úteis para os músculos das pernas e dos braços. A resistência que se oferece não deve impedir que a criança faça os movimentos completos

Pernas

Neste exercício, levanta-se a perna e empurra-se para o ombro do lado oposto. Então, pede-se ã criança que empurre a sua perna para voltar a ficar esticada. O joelho deve-se manter sempre esticado. Repetir o exercício 10 vezes em cada perna.

Braços

Manter cruzado o braço da criança, como se fosse para tocar na orelha do lado oposto. Pede-se que a criança empurre o seu braço para fora e para baixo, de modo a voltar para junto do corpo. Repetir 10 vezes em cada braço.

Os exercícios devem ser feitos todos os dias, mas sem criar ansiedade na criança. Ë importante manter a sua confiança, fazendo os exercícios como se fosse um jogo e apontando os resultados obtidos. Além destes exercícios, a atividade física em geral e o desporto podem ajudar a manter a forma física o maior tempo possível. A natação em piscina aquecida é o esporte ideal. É igualmente útil, quando há força suficiente, andar a cavalo ou andar de bicicleta.

Quanto devemos fazer? Quanto estamos fazendo demasiadamente demais?

Estas são ansiedades naturais. Exercícios, como todo treinamento nunca deve ser feito ao ponto de fatiga, mas é muito improvável que você possa induzir sua criança a fazer exercícios em excesso. Os exercícios sugeridos são considerados apropriados e são fáceis de fazer mas
há outras maneiras de se conseguir o mesmo alvo. É importante recordar que quando a doença progride os exercícios devem ser realizados mais suavemente, mas você saberá avaliar bem porque você convive com a criança a cada dia.

Nos capítulos anteriores foi ressaltada a importância da rotina na realização dos exercícios mas elas devem ser adaptadas a atividade de cada criança e ao estilo de vida de cada família. Como toda rotina ela pode ser modificada.

Exercícios Respiratórios

Quando inspiramos a caixa torácica se alarga e o ar penetra nos pulmões ocupando o espaço extra criado. Quando expiramos os músculos relaxam e a elasticidade do pulmão empurra o ar para fora. Os músculos expiratórios são usados quando forçamos o ar para fora, como na tosse. Os músculos respiratórios são afetados em fases mais avançadas da doença.

Treinamento dos Músculos Inspiratórios

Treinamento pode ser realizado com equipamentos simples e baratos. É uma maneira simples de incentivar respirações profundas e geralmente as crianças apreciam a utilização destes dispositivos.

Respiração Profunda

A criança deve estar comodamente semi-sentada, com sob a cabeça e os ombros. Os joelhos devem ficar dobrados.

O ajudante deve colocar as mãos de tal forma que os dedos fiquem virados para as costas e, suave mas firmemente, apertar a parte mais inferior da caixa torácica (a parte mais baixa do peito). Pede-se então a criança que encha o peito de ar o máximo que puder, tentando empurrar, com as costelas, as mãos do ajudante. Deve tentar manter o ar nos pulmões durante vários segundos. Repetir 10 vezes

Drenagem Postural

Muitas crianças não conseguem eliminar secreções respiratórias, especialmente quando estão resfriadas. A drenagem postural é de muita utilidade. Faz-se uma cunha com almofadas duras ou com cobertores. A criança coloca-se de barriga para baixo sobre essa cunha, de modo a que o peito fique inclinado para baixo cerca de 45º.

Deve permanecer nesta posição cerca de 10 a 20 minutos. Durante esse tempo, pedir-lhe para respirar profundamente. Deve fazer um intervalo entre cada respiração, para não ficar com tonturas.

Esta posição baixa da cabeça é inadequada para crianças mais velhas. A posição da figura 19 pode ser usada com a criança deitada de lado com apoio de um travesseiro.

Tosse Estimulada

Também é útil para eliminar as secreções pulmonares. Pode fazer-se enquanto faz-se a drenagem postural, como demonstrado acima, ou então com a criança sentada, inclinada para a frente. Orienta-se a criança para que respire profundamente algumas vezes e depois que tussa. Isto ajuda a eliminar as secreções mais espessas desde a parte mais profunda dos pulmões até à garganta, para serem cuspidas. Depois de ter tossido 2 ou 3 vezes, deve descansar e respirar normalmente por algum tempo. Deve repetir-se várias vezes, intercalando períodos de respiração profunda. Se um dos pais ou ajudante apertar fortemente as costelas com as suas mãos, enquanto ela tosse, ajudará o esforço da criança. Este procedimento deve ser realizado após orientação de um fisioterapeuta.

Parada da Deambulação

A parada da deambulação ocorre quando a fraqueza muscular progride mas pode ser precipitada por doenças debilitantes, fraturas, etc. Numa etapa inicial a criança necessitará de auxílio para deambular grandes distâncias e manter a deambulação em casa. O uso de órteses e cirurgias ortopédicas podem ser necessárias para prolongar a deambulação.

BENEFÍCIOS DA NATAÇÃO PARA CADEIRANTES

A natação no cotidiano do cadeirante tem uma grande importância na sua vida. A natação é considerada como um exercício que traz muitos benefícios para o cadeirante, pois se trata de uma atividade que trabalha com o corpo inteiro, e é o único lugar em que o corpo deixa de estar em atrito, além de estar dentro de um ambiente que provoca relaxamento e diversos tipos de movimentação que não dá para fazer fora da piscina. A natação ajuda a melhorar a capacidade funcional dos diversos sistemas do organismo.

Aumento da flexibilidade e da mobilidade das articulações; e assim melhorar a força e a resistência dos músculos que precisamos no dia a dia para uma simples tarefa ou em transferências complicadas em que exige força e resistência dos músculos. Um grande benefício da água é permitir a permanência temporária fora da cadeira de rodas ou leito, contribuindo para a prevenção de úlceras de decúbito e evitando o sedentarismo.  Existem vários nados adaptados que vêm ajudando os cadeirantes. Hoje existem diversas academias, clubes, centros de reabilitação entre outros, que investem no nado adaptado para pessoas com necessidades especiais, buscando uma melhoria na autoestima e buscando uma qualidade de vida melhor, além de melhorar a convivência com a sociedade

Cuidados!!

Todo cuidado é pouco para entrar na piscina, principalmente tratando de piscina que não tem rampa pra cadeirante, ainda mais no caso de quem não tem sensibilidade abaixo da lesão. Um grande problema na piscina sem rampa é entrar na piscina, o cuidado tem que ser em dobro, a fim de evitar atrito da pele no piso grosso da piscina. Uma forma que facilitam a entrada na piscina é colocar um emborrachado ou algo semelhante na borda da piscina e pedir ajuda alguém para você ir para o piso, isso vai facilitar sua entrada, e sua pele não vai ter atrito com o piso. É muito importante também evitar tomar banho em lugares rasos a fim de evitar atrito com o fundo da piscina, e cuidado com o excesso de exposição ao sol, nunca se esquecer de passar protetor solar, caso não saiba nadar use colete salva vida ou boias.

6 Receitas de Brownie Fitness – Deliciosas e fáceis de fazer

Você sente falta de um docinho em sua dieta?

Então vai adorar saber mais sobre o Brownie fitness, esta opção de sobremesa já conquistou muitas pessoas eu tenho a certeza que irá conquistar você também.

Selecionamos as melhores receitas de brownie fitness para você tornar o seu cardápio mais leve e saudável.

Confira!

Brownie de chocolate

Ingredientes:

4 claras e 3 gemas;
4 colheres (sopa) de adoçante próprio para forno e fogão;
200 gramas de chocolate meio amargo zero açúcar;
10 colheres (sopa) de farelo de aveia. Você também pode substituir por qualquer outro tipo de farinha sem glúten como a farinha de arroz ou a farinha de amêndoas;
2 colheres (sopa) de cacau em pó zero açúcar;
1 colher (sopa) de fermento em pó.

Modo de preparo:

O primeiro passo é derreter o chocolate meio amargo e separa-lo em duas partes. Reserve;
Bata os ovos com o adoçante até virar um creme homogêneo e claro;
Adicione o cacau e misture bem;
Acrescente metade o chocolate meio amargo;
Cubra uma forma retangular com papel manteiga e despeje a massa;
Asse em forno pré- aquecido a 180º graus por cerca de 30 minutos;
Deixe esfriar e corte o brownie em quadradinhos para servir.

Brownie com linhaça e castanha-do-pará

Ingredientes:

100 gramas de farinha de linhaça;
50 gramas de açúcar mascavo;
160 gramas de coco ralado light;
10 ovos;
120 gramas de cacau em pó;
120 gramas de manteiga (margarina light ou outra opção saudável a sua escolha);
4 bananas verdes;
1 pires de castanha-do-pará picadas;
Frutas secas em pedaços a gosto.
Modo de preparo

Lave as 4 unidades de bananas verdes e leve para cozinhar em uma panela de pressão com água o suficiente para cobri-las. Cozinhe por 10 minutos;
Desligue o fogo, deixe esfriar e descasque-as para bater no liquidificador até virar um creme homogêneo;
Acrescente o restante dos ingredientes e bata;
Leve ao forno pré- aquecido por cerca de 25 minutos.

Receita de brownie fitness com whey Protein

Ingredientes:

1 scoop de whey protein isolado ou concentrado sabor chocolate;
2 claras de ovos;
1 colher (sopa) de pasta de amendoim;
200 gramas de castanha-do-caju sem sal picada;
1 colher (sopa) de cacau em pó sem açúcar;
Açúcar sucralose próprio para forno e fogão.
Modo de preparo:

Em uma tigela coloque todos os ingredientes e misture bem;
Leve para assar em uma forma forrada com papel manteiga por cerca de 30 minutos até perceber que a casca está crocante.

Brownie de frigideira

Ingredientes:

1 clara
3 colheres (sopa) de goma de tapioca
1 colher (sobremesa) de cacau em pó sem açúcar
1 colher (sobremesa) de chia
1 colher (sobremesa) de creme de avelã sem açúcar
1 colher (chá) de adoçante sucralose próprio para forno e fogão
Modo de preparo

Misture bem a clara com a tapioca e acrescente os demais ingredientes misturando até ficar homogêneo;
Leve a massa a uma frigideira antiaderente. Você pode untar com um pouco de azeite ou óleo de coco antes de fritar a massa;
Doure a massa em fogo baixo de um lado e depois do outro e pronto! Sua delícia de brownie fitness já pode ser saboreada.

Brownie de batata doce

Ingredientes:

400 gramas de batata doce;
60 gramas de farinha de trigo sarraceno;
60 gramas de amêndoas moídas;
1 pitada de sal;
4 colheres (sopa) de cacau em pó sem açúcar;
4 colheres (sopa) de geleia de arroz (que pode ser encontrada em lojas de produtos naturais);
1 colher (sopa) de óleo de coco;
Cacau em pó para polvilhar;
15 unidades de tâmaras sem caroço.

Modo de preparo:

Descasque as batatas, corte-as em cubos e leve para cozinhar até ficarem macias;
Bata a batata doce juntamente com as tâmaras até ficar um creme homogêneo. Acrescente os demais ingredientes e mexa bem até que todos os ingredientes estejam interligados;
Coloque a massa em uma forma forrada com papel manteiga e leve para assar em forno pré-aquecido a 180 graus por cerca de 30 minutos;
Deixe esfriar um pouco, desinforme e corte em quadradinhos;
Para finalizar polvilhe um pouco de cacau em pó.

Brownie de morango

Ingredientes:

½ xícara de iogurte natural;
80 gramas de chocolate sendo 85% de cacau picado;
¼ xícara de óleo de coco;
2 colheres (sopa) de cacau em pó sem açúcar;
2 ovos;
½ xícara de açúcar mascavo;
½ xícara de farinha de arroz;
1 colher (sopa) de fermento químico;
1 colher (café) de baunilha em pó ou essência;
1 pitada de sal.

 

 

3 receitas de panquecas proteicas (2 com Whey Protein)

Está fazendo para perder aqueles quilinhos indesejáveis? Então que tal fugir do tradicional cardápio, incrementando um pouco mais os pratos para ficar mais saboroso e ainda continuar nutritivo?

É so acompanhar cada receita preparada especialmente para vocês, colocar o avental e ir para a cozinha!

Vamos lá e mãos a obra!

Ingredientes
1 ovo e 1 clara
1 banana amassada
2 colheres de farelo de aveia
1 colher de linhaça
1 scoop de Whey Protein
1 colher (chá) de canela em pó (a gosto)
1 ou 2 gotas de baunilha (a gosto)

Como preparar

Bater todos os ingredientes no liquidificador, a começar pelo ovo, a clara a baunilha ou a canela. Em seguida acrescente a banana e bata bem, por último coloque nesta ordem, Whey, o farelo, acrescente a linhaça e já desligue.
As panquecas precisam ser feitas em frigideira antiaderente em fogo baixo. Despeje a quantidade de massa na quantidade que preferir, mais fina, pouca massa, mais grossa, dobre a quantidade.
Asse um lado primeiro e depois vire para assar o outro lado. Depois de prontas, podem ser cobertas com bananas fatiadas e mel, ou, com calda de frutas vermelhas feitas com morango em fruta misturada a geleia diet de framboesa, acrescida com uma colher de água.

Panqueca de Whey Protein de baunilha ou chocolate

Ingredientes para a massa

2 claras de ovos
½ xícara de flocos de aveia
3 colheres (sopa) de leite desnatado
1 scoop de Whey (baunilha ou chocolate)
½ colher (café) de essência de baunilha

Cobertura

Mel a gosto
Frutas (morango ou banana)
iogurte desnatado ou queijo cottage
canela em pó

Como preparar

Bata no liquidificador todos os ingredientes para a massa juntos até ficar bem homogêneo. Unte com margarina light (pode ser óleo de coco ou canola, mais saudável) uma frigideira, caso não tenha uma antiaderente, e despeje 1 concha de massa, e asse em fogo baixo, repita a operação para os 2 lados.

Coloque as panquecas no prato, e cubra com o iogurte batido com um garfo misturado ao mel e a canela, corte fatias das frutas de sua preferência e jogue por cima, se quiser, pode dar um toque especial salpicando 1 colher (café) de linhaça ou chia.

Panqueca integral de frango

Ingredientes para a massa

1 xícara de leite desnatado
2 claras
1 pitada de sal
1 colher (sopa) de margarina light (pode ser óleo de coco ou canola, mais saudável)
1 colher (sopa) de margarina light para assar a panqueca
1 xícara de farinha de trigo integral
1/2 colher (chá) de fermento

Recheio

1 cebola grande ralada
1/2 kg de peito de frango cozido e desfiado
Sal a gosto
1 colher (chá) de colorau
100 g de ervilhas frescas
100 g de cenoura ralada
2 xícaras de molho de tomate

Modo para o preparo

Coloque todos os ingredientes da massa no liquidificador e bata até ficar tudo homogêneo. Aqueça uma frigideira antiaderente e derreta 1 colher (sopa) de margarina light.
Coloque 1 concha de massa na frigideira, deixe dourar o lado debaixo e vire para dourar o outro lado também. Reserve as massas.
Como preparar o recheio

Em uma panela coloque 1 fio de azeite para refogar a cebola, até começar a ficar transparente, acrescente então o frango, o colorau e o sal. Vá mexendo até secar todo o caldo do frango.
Coloque as ervilhas, as cenouras e deixe por mais 5 minutos no fogo baixo. O recheio estará pronto para rechear as panquecas somente depois de frio.
Em outra panela, coloque novamente 1 fio de azeite e um dentinho de alho socado refogue sem queimar, e despeje 1 sachê de molho de tomates pronto, cominho e sal.
É só montar as panquecas numa travessa, cobrir com o molho, polvilhar queijo ralado light e está pronto!

Se você não sabe o que é Whey Protein:

Whey Protein é o nome comercial que foi dado à proteína do leite, extraída de seu soro no momento da fabricação do queijo. Além de ter grande quantidade de proteína, seu valor biológico é muito alto.

Se você e de Itaperuna ou região e quer comprar o seu Whey Protein, é só você ir na loja Rocha Suplementos que fica na:

AV CARDOSO MOREIRA, 445 – CENTRO

Itaperuna / RJ – 28300-000
Tel.: (22) 3822-5107

Mas se você não e de Itaperuna não fique triste pois a Rocha Suplementos também fazem vendas pela internet no site:

http://www.rochasuplementos.com.br/loja/

Cadeirantes podem fortalecer músculos e melhorar a qualidade de vida com o Pilates

Com o método é possível trabalhar diversos grupos musculares de forma não agressiva e inteligente proporcionando benefícios como alongamento e maior controle corporal, correção postural, maior flexibilidade, além de tônus e força muscular.

Com o método é possível trabalhar diversos grupos musculares de forma não agressiva e inteligente proporcionando benefícios como alongamento e maior controle corporal, correção postural, maior flexibilidade, além de tônus e força muscular.

De acordo com os fisioterapeutas Michel Salgado e Sérgio Machado, sócios-fundadores e diretores da Metacorpus Studio Pilates, a atividade física específica para pessoas com lesão medular é fundamentada no condicionamento físico baseado em seis princípios fundamentais como: concentração, controle, power house, movimento fluido, respiração e coordenação motora. “Até pouco tempo, o tratamento de pacientes com lesão medular estava restrito à prevenção de danos à medula espinhal, limitando o tratamento fisioterápico à reabilitação intensiva.

Com o aumento da expectativa de vida dessas pessoas e o ganho social para sua maior acessibilidade de mobilidade, o processo de reabilitação desviou-se da preocupação de sobrevivência e tem foco na melhoria da qualidade de vida e no aumento da independência”, avalia o fisioterapeuta Michel Salgado. Entre os vários benefícios proporcionados pela prática do Pilates Michel Salgado destaca o alongamento e maior controle corporal; a correção postural; mais flexibilidade; melhora no tônus e força muscular; alívio de tensões, estresse e dores crônicas; desenvolvimento da consciência corporal; melhora da mobilidade das articulações; estimulação do sistema circulatório e oxigenação do sangue; fortalecimento dos órgãos internos; melhora da capacidade respiratória e aumento da sensação geral de bem estar. “Deve-se trabalhar bem a questão do aumento da força em membros superiores uma vez que esta musculatura sofre sobrecarga.

É importante gerar uma harmonia dos movimentos estimulando maior coordenação motora na execução das atividades diárias”, completa o fisioterapeuta Sérgio Machado.

Atividade física acessível

Nascido em 1880, Joseph Pilates criou um repertório de exercícios que eram executados no solo. Residente na Inglaterra durante a Primeira Guerra Mundial, foi feito prisioneiro e transferido a um campo de trabalho britânico, onde aprimorou seus movimentos com auxílio de molas e macas para reabilitar soldados feridos. De acordo com a fisioterapeuta Tatiana Kasahara, proprietária de três unidades da rede Metacorpus, a evolução dos pacientes portadores de lesão medular, assim como as respostas destes às aulas de Pilates, são imprevisíveis. As funções sensitivas, motoras e funcionais preservadas abaixo do nível da lesão apresentam padrões variáveis de recuperação. É importante que o paciente tenha o mínimo de controle de tronco para frequentar as aulas, alguns exercícios podem ser feitos na própria cadeira de rodas.

Ainda segundo Tatiana Kasahara,é importante para este público que passa a maior parte do tempo na mesma posição ter aulas buscando melhorar a capacidade respiratória, uma vez que ele é incentivado a utilizar a mobilidade de todo tórax de modo a dificultar o surgimento de possíveis doenças como pneumonias. Da mesma forma, o Pilates para portadores de lesão medular auxilia no trabalho dos órgãos internos e musculaturas profundas, oferecendo melhora no funcionamento intestinal. “

Muitos alunos nos relatam este tipo de melhora. Exercícios específicos para controle e sustentação do tronco, fortalecimento de membros superiores para facilitar transferências de peso para outros locais (carro, cama, cadeira, sofá) e estímulos de equilíbrio”, afirma Tatiana. Para o treino com paraplégicos, por exemplo, são utilizadas bolas, elásticos e os próprios equipamentos de Pilates.

“O exercício é um ótimo aliado não só da performance motora como também da autoestima. Mesmo aqueles que precisam de auxílio para realizar os exercícios devem sempre ter em mente que ele será responsável pelos cuidados com o próprio corpo. Alguns exercícios do Pilates quando praticados no dia a dia proporcionaram a nossos alunos independência e autonomia, bem como maior equilíbrio estático e dinâmico”, avalia Tatiana.

<<1 ...6566676869... 94>>