Aplicativo brasileiro que traduz português para Libras ganha prêmio do Google

O aplicativo brasileiro Hand Talk ganhou o prêmio do Desafio Google de Impacto em IA, que tem como objetivo premiar iniciativas tecnológicas de impacto social do mundo todo. Ao utilizar inteligência artificial para traduzir textos e vídeos na internet em Português para a Língua Brasileira de Sinais (Libras), o programa foi um dos 20 vencedores do Desafio.

A plataforma foi criada em 2012 por Ronaldo Tenório, um jovem empreendedor digital de 33 anos. O aplicativo ajuda na comunicação de surdos e de pessoas com deficiência auditiva. As informações são do site Só Notícia Boa e da revista Galileu.

A startup foi escolhida entre 2.602 inscrições de 119 países. Com o prêmio, o aplicativo ganhou R$5 milhões, uma consultoria do Google e a entrada em uma aceleradora de empresas.

Disponível em Android e iOS, a versão mobile já conta com mais de dois milhões de downloads e o aplicativo possui um módulo de extensão para sites, nos quais textos e áudios são traduzidos por um personagem 3D chamado Hugo.

 

FONTE: O povo

Historia de vida Gilvan

Meu nome é Gilvan, tenho 29 anos e sou cadeirante há 9 anos devido acidente de trânsito. Eu estava de moto e fui atravessar a BR e tinha um ônibus na minha frente que entrou na BR com o sinal amarelo e eu não consegui ver que o sinal estava vermelho para mim, então acabei atravessando com o sinal fechado e um caminhão me atropelou.

Fui encaminhado para hospital metropolitano em belém-pa, fiquei 6 dias internado e tive alta, mas em casa sentia dores no pescoço e o médico descobriu que eu estava com uma luxação na cervical, e quase fiquei tetraplégico em casa devido esse erro deles. Então voltei para hospital e lá foi feita cirurgia e permaneci lá por mais 2 meses até que voltei para casa.

No início foi bem difícil, não tinha ideia de como seria, dependia de outras pessoas para tudo, emagreci bastante, tive que trancar minha faculdade de Ed Física, minha vida virou do avesso. Com tudo isso passava alguns dias bem e outros mal por motivo de tristeza, sem expectativas, totalmente perdido. Fazia fisioterapia, também enfrentei dificuldades para sarar aquelas úlceras de pressão e também passei por algumas cirurgias. E nos primeiros 3 anos foi desse jeito.

Foi quando fiz uma consulta com um outro medico neurologista e ele descobriu que eu tinha uma fratura e luxação na coluna torácica(T9), e que eu precisava operar, mais um erro q tive de enfrentar, pois o medico disse que eu poderia estar andando hoje se tivessem visto isso logo no inicio, fiquei chateado ao ouvir isso, mas deixei de lado e apos alguns meses operei.

Depois disso consegui ir para o hospital Sarah kubischek em São luis-ma, fiz exames, lá aprendi muitas coisas, e também me ajudaram a aperfeiçoar outras que eu já fazia, fui 3 vezes no Sarah, uma vez ao ano. E nesse tempo eu já estava totalmente independente, em casa fazia tudo sozinho, e é esse o ponto que eu acredito que me fez ir mudando e abrindo minha cabeça para coisas novas, pois o que mais me deixava triste e incomodado era depender dos outros. Mas ainda tinha dificuldade para sair, não por vergonha, mas porque a cidade não é adaptada, eu não tenho carro, e não queria incomodar ninguém apesar de minha família me ajudar sempre. E com isso já se passava 6 anos desde o acidente.

Foi quando um casal de primos meus me convidaram para treinar, antes do acidente eu já treinava e gostava, decidi enfrentar minhas desculpas e aceitei, e com o treinamento adquiri força, resistência, o que me ajudou a fazer mais coisas sozinho como sair na rua sem ter que pedir ajuda, também melhorei meu corpo e com isso minha auto estima, e além de treinar também voltei a dançar, experimentei o crossfit, conheci e fiz novas amizades, e nesse ambiente de academia acabei retomando o gosto pelos treinos e decidi voltar a estudar. Infelizmente não pude voltar para a faculdade que fazia, pois já havia sido jubilado, mas vou começar novamente e o mesmo curso, que é Ed Física.

Então, voltar a treinar foi o ponto exato de incentivo para mim, sem nem eu mesmo perceber me vi fazendo coisas e desejando coisas que não imaginava que fosse fazer novamente.

Hoje já treino há 3 anos e tem me feito muito bem tanto fisicamente como psicologicamente.

Com isso se passaram 9 anos, e possa ser que eu tenha demorado a enfrentar toda essas mudanças

, mas nunca é tarde e talvez isso ajude outros a enfrentarem mais cedo as suas, e que cada um encontre o ponto certo que motive a seguir em frente.

1 comentário em Historia de vida Gilvan Ver mais posts sobre: Historia Tags: , ,

Ricardo
Falar sobre si não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Acho que por isso mesmo adiei tanto a atualização dessa página! Mas vamos tentar né? Você já teve a chance de conviver com um capricorniano? Pois é, aquele jeito louco, sonhador, aventureiro, e nem sempre com os dois pés no chão… Esse sou EU! Ricardo Tostes Pinto Perdigão, ou pra vocês, apenas Ricardo Tostes.

Renovação hoteleira com acessibilidade! Portugal pensa em hóspedes com deficiência!

O Hotel Rural Quinta do Marco está totalmente adaptado para facilitar a deslocação de hóspedes com deficiência. O hotel implementou um conjunto de novas acessibilidades em todos os seus espaços. O Hotel Rural da Quinta do Marco localiza-se na Serra Algarvia, com uma vista que se estende por 18 km até às águas do oceano Atlântico.

Este projeto de adaptação foi realizado com o apoio do programa Valorizar, do Turismo de Portugal, na vertente da Linha de Apoio ao Turismo Acessível, num investimento global de cerca de 90 mil euros.

Com a aplicação de pavimento betuminoso permeável, de cor terra escuro, em volta de todo o hotel, foi permitindo o acesso a cadeiras de rodas e carrinhos de bebés a todos os quartos e espaços públicos: recepção, restaurante, bar, piscina, spa e estacionamento.

O Hotel instalou pisos táteis ao longo de todo o espaço, com guias de deslocação e placas de sinalética em braille com indicações para os clientes com deficiência visual. Nos quartos, foram ainda colocadas placas indicativas e direcionais com o respectivo número do alojamento.

Também a acessibilidade digital foi melhorada. O website do Hotel Rural Quinta do Marco foi adaptado, pela empresa Dengun, para ser utilizado por pessoas cegas que utilizam softwares de navegação.

 

FONTE: Turismo Adaptado

HISTORIA DE VIDA

Meu nome é José Braz dos Santos Junior, atualmente tenho 27 anos, nascido em 01 de dezembro de 1991, profissão enfermeiro.

Nasci sem deficiência física alguma, mas na data 14/12/2016 sofri um acidente automobilístico às 5 da manhã voltando de uma formatura de direito, após esse acontecimento deixei de ser um profissional da área da saúde(enfermeiro), para me tornar o paciente com lesão medular a nível do tórax vértebra T9.

Tenho dois anos e alguns meses de lesão, aposentado pelo INSS, atualmente moro na cidade de tucuruí-PA com minha família, mantenho o acompanhamento de saúde no Hospital Sarah Hubitschek em Brasília, realizo reabilitação diárias como fisioterapia e academia, namoro com a senhorita gleicy santos, uma moça maravilhosa e sou muito grato a Deus pela minha vida e a segunda chance que ele me proporcionou após o acidente.

 

Deixe um comentário em HISTORIA DE VIDA Ver mais posts sobre: Historia Tags: , ,

Ricardo
Falar sobre si não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Acho que por isso mesmo adiei tanto a atualização dessa página! Mas vamos tentar né? Você já teve a chance de conviver com um capricorniano? Pois é, aquele jeito louco, sonhador, aventureiro, e nem sempre com os dois pés no chão… Esse sou EU! Ricardo Tostes Pinto Perdigão, ou pra vocês, apenas Ricardo Tostes.

Carrinhos elétricos facilitam transporte no Centro de São Luís Veículos serão utilizados por pessoas com deficiência física e mobilidade reduzida

A Prefeitura de São Luís recebeu na manhã na terça-feira (23 de Abril), da Vara de Interesses Difusos e Coletivos do Tribunal de Justiça, carrinhos elétricos que facilitarão o trânsito de pessoas com deficiência física e mobilidade reduzida no Centro Histórico. A doação dos veículos é resultado de iniciativa da Vara de Interesses Difusos e do Ministério Público da Raposa. O prefeito Edivaldo Holanda Junior acompanhou a entrega dos equipamentos, que se somam às iniciativas da gestão para promover tanto a acessibilidade na cidade quanto o turismo no Centro Histórico.

“A entrega dos carrinhos é uma ação muito importante da Vara de Interesses Difusos e Coletivos que amplia as ações de acessibilidade que já vêm sendo colocadas em prática pela Prefeitura. Agradeço a iniciativa dos órgãos da Justiça, que contribui também para ampliar o acesso ao turismo na região do Centro Histórico”, destacou o prefeito Edivaldo que estava acompanhado de secretários municipais que também prestigiaram a entrega.

O juiz da Vara de Interesses Difusos e Coletivos do Tribunal de Justiça, Douglas Martins, disse que a ação mostra de forma concreta o papel da Justiça na sociedade, garantindo direitos aos cidadãos. “Nossa expectativa é de que, com importantes parcerias como essa do poder público municipal, o projeto seja aperfeiçoado com o tempo e garanta a mais pessoas esse acesso”, acrescentou o juiz.

A doação dos três veículos que vão circular pelo Centro Histórico é fruto de uma conciliação que resultou de um processo judicial do Ministério Público contra empresa privada. “Aqui, o Ministério Público mais uma vez exerce o seu papel constitucional, resolvendo o conflito da melhor forma possível que é através da conciliação e em prol dos direitos dos cidadãos”, explicou o promotor da Comarca de Raposa, Reinaldo Campos. Neste primeiro momento entram em funcionamento dois dos três veículos.

Os carrinhos elétricos possuem espaço para cadeirante e acompanhantes e serão conduzidos por profissionais da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT). O projeto piloto é inicialmente exclusivo às pessoas com deficiência. A Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) está realizando o treinamento dos condutores e demais profissionais que atenderão diretamente as pessoas com deficiência. A capacitação, que também será realizada pela Escola Superior da Magistratura (Esmam), tem o objetivo de garantir a acessibilidade atitudinal, que consiste em eliminar atitudes baseadas em preconceitos e estigmas que são barreiras no processo de inclusão. O desembargador Froz Sobrinho, diretor da Esmam, também participou do evento.

Os veículos partem das vagas especiais do estacionamento da Praia Grande e percorrem ruas como a Travessa Boa Ventura, a Rua da Estrela, Rua Dialma Dutra e a Rua da Feira da Praia Grande. Com a rota definida pela SMTT, a passagem por pontos estratégicos garante acesso a estabelecimentos e órgãos como Banco do Brasil, Câmara Municipal de São Luís, Defensoria Pública do Estado do Maranhão, Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Setur), Caixa Econômica Federal e Centro de Criatividade Odylo Costa Filho.

Teste de acessibilidade

Na última quinta-feira (18), o prefeito Edivaldo acompanhou, ao lado do juiz Douglas Martins e do promotor Reinaldo Campos, os testes realizados com um dos veículos. O advogado Diego Felipe Chaves, que é cadeirante, avaliou o veículo que percorreu as ruas do Centro Histórico. “É preciso garantir que as pessoas tenham autonomia para utilizar o equipamento com independência. Esse é um projeto pioneiro e muito importante, pois garante a efetivação do nosso direito de ir e vir. É um trabalho que pode ser replicado em outras cidades do país, como Ouro Preto e Olinda”, avaliou positivamente o advogado, que testou a eficácia do veículo quanto à proposta da acessibilidade.

FONTE: O IMPARCIAL