Ford trabalha em cadeira de rodas que entra e sai sozinha do carro.

 

20170103195224_660_420
Foto retirada da internet

A Ford está desenvolvendo uma nova cadeira de rodas que pode facilitar bastante a vida dos cadeirantes do mundo inteiro. Desenvolvida pela filial europeia da montadora, a eChair é uma cadeira de rodas que entra e sai automaticamente do porta-malas do carro.

A ideia da invenção é acabar com a dificuldade de colocar o equipamento no compartimento, algo que pode ser bastante difícil para pessoas com deficiência. Com um só botão, a eChair se guarda sozinha utilizando uma plataforma de automação.

Por enquanto a tecnologia ainda está em fase de desenvolvimento; ela acabou de ser patenteada pela fabricante. Ainda não há previsão para que a cadeira seja lançada.

Fonte: Olhar Digital – Redação Olhar Digital 03/01/2017 19h50 Acessibilidade carro Ford

Este post foi do blog:

www.cantinhodoscadeirantes.com.br

Minha experiência com home care!

home-care
Foto retirada da internet

Primeiramente você sabe o que é home care?

O termo home care é de origem inglesa, “Home” significa “lar”, e a palavra “Care” traduz-se por “cuidados”. Portanto, a expressão Home Care designa literalmente: cuidados no lar.

Eu tinha um histórico de internações muito grande, tinha ano que eu internava entre 6 a 10 vezes no mesmo ano, a exposição a infecção hospitalar e outros riscos era muito grande, só que eu e minha família não sabíamos da existência desse tipo de serviço e muito menos que poderíamos conseguir isso pelo plano de saúde.

Até que um dia minha pediatra na época, comentou que na nossa cidade tinha uma empresa que prestava esse serviço, ela fez a solicitação por escrito para fazermos o pedido através do meu plano de saúde e assim começou a minha trajetória para que a UNIMED pudesse autorizar esse serviço.

Não conseguimos a autorização facilmente, foi preciso entrar na justiça para que a UNIMED pudesse autorizar a home care para mim.

No ano de 2014 a justiça me concedeu o direito de ter a home care, desde então minha vida melhorou bastante com esse tipo de serviço tenho acompanhamento de técnico de enfermagem 24 horas/dia, fisioterapia, fonoterapia, terapia ocupacional, nutricionista, enfermagem, psicóloga e médico para me assistir sempre que eu necessito.

O número das minhas internações diminuiu quase 95%.

Tipos de cadeiras de rodas!!!!

Uma cadeira de rodas é projetada para oferecer a mobilidade e a oportunidade de melhorar a qualidade de vida dos usuários. Existem diversos tipos de cadeiras de rodas. Antes de decidir comprar, considere o seguinte: se a cadeira é projetada para uso interno ou externo se ele pode ser dobrado e colocado no porta-malas, o que a fonte de energia é, quanto pesa, que opções ajustáveis estão disponíveis, a garantia e o custo. Cadeiras de rodas manuais

cadeira-com-fechamento-x

Cadeiras de rodas manuais são movidos pelo usuário ou um assistente. As rodas traseiras são normalmente sobre um eixo que permite ao usuário mover, empurrando as rodas para baixo ou puxando-os para trás. O usuário determina a velocidade tanto para trás e para a frente. Cadeiras de rodas manuais exigem uma boa dose de força superior do corpo e coordenação. Os pedais e alavancas manuais estão disponíveis para ajudar no movimento

Elétricas Cadeiras de rodas

Cadeiras de rodas eléctricas são uma boa opção para aqueles que não têm a coordenação ou força para mover uma cadeira de rodas manual. As baterias são recarregáveis e são montados embaixo do banco do usuário. O usuário é responsável pelo movimento da cadeira. Um joystick está montado sobre o descanso de braço ou de uma barra, em frente do utilizador, o qual controla o movimento da cadeira por meio de sucção de ar ou de libertação. Benefícios de cadeiras de rodas eléctricas incluem opções de inclinação, a capacidade de reclinar e elevadores para o assento, pernas e braços. As opções adicionais permitem que a cadeira de rodas para ser personalizado para as capacidades do usuário e as necessidades de longo prazo

30726

Em 2009, havia três tipos de baterias disponíveis para cadeiras de rodas eléctricas: Celulares molhado, celulares gel e AGM. Baterias de células Wet são leves, baratos e têm um menor risco de ser sobrecarregado e queimar. A desvantagem de baterias de células molhada é a sua tendência a escapar, impedindo-os de ser usado para o transporte aéreo. Baterias de células Gel são pesados, mas não vazam e são aprovados para o transporte aéreo. Baterias AGM são os mais pesados e mais caros. A bateria AGM é adequado para aviões, não vaza e é uma opção livre de manutenção.

Embora haja carregadores de baterias separadas disponíveis, muitas cadeiras de rodas eléctricas carregar facilmente ao ser plugado polegadas

Scooters

Scooters tem quatro pequenas rodas e uma plataforma baixa. Este tipo de cadeira de rodas é muitas vezes com base nas preferências e necessidades do usuário. Cadeiras em uma scooter pode ser montado ou feito para rodar assim que o usuário pode sair qualquer um dos lados. Um problema potencial é que a posição utilizada para a condução pode ser rígida ou desconfortável.

69p185hcfldq1dlf1f2n1qc71bpopfk2o

Stand- Up Cadeiras de rodas

Cadeiras de rodas Stand-up oferecer ao usuário a oportunidade de ser na posição de pé , ao ser apoiado . Uma bomba hidráulica levanta ou inclina o assento. Isso é muitas vezes um recurso útil para em casa e uso público.

stund-up

Bariátrica Cadeiras de rodas

Bariátricas cadeiras de rodas são para aqueles que pesam mais de 250 quilos. e pode ser utilizada para um máximo de 1000 £ . Cadeiras de rodas bariátrica são normalmente feitos sob medida, com tamanhos de assento variando de 20 a 34 polegadas. A armação pode ser feita de aço inoxidável, aço carbono ou aço reforçado. As tampas, ou almofadas , podem ser feitas de vários materiais diferentes .

minimaxx_4fbfe458

Pediátricos Cadeiras de rodas

Cadeiras de rodas pediatras são projetados para uso por crianças. Eles dão ao usuário a capacidade de sentar-se , reclinar ou deitar-se . Eles vêm em vários tamanhos e modelos e pode ser com base na idade e crescimento. Cadeiras de rodas especiais também estão disponíveis para necessidades específicas. Os assentos podem ser contornados para o conforto. Cadeiras de rodas para as crianças tornaram-se mais fácil de usar, mais leve e mais seguro.

51k3sacj7tl__01015_zoom

Cadeiras de rodas esportivas

Cadeiras de rodas esportivas oferecem atletas a capacidade de participar de esportes de sua escolha. Estas cadeiras têm desenhos diferentes, dependendo do esporte . Quadros leves são os mais comuns, mas as cadeiras de rodas esportivas não desistir. Cadeiras de rodas esportivas também são mais estáveis para voltas repentinas.

cadeiras-de-rodas-esportivas

Você sabe o que é o projeto Praia para Todos???

 

header

Então vamos lá…

“Praia para Todos” é uma iniciativa gratuita, em Copacabana e na Barra.

Na Zona Sul, a novidade é o Stand Up Paddle adaptado.

Promover a acessibilidade das praias para receber pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida de ambos os sexos e de todas as idades, oferecendo no local a inclusão e integração social dessas pessoas através do esporte e lazer, aproveitando a praia como ambiente e o esporte adaptado como instrumento.

Um programa de acessibilidade tem permitido o banho de mar para portadores de deficiência nas praias do Rio.

O Projeto Praia para Todos promove acessibilidade para cadeirantes e pessoas com limitações físicas que haviam perdido o contato com o mar.

Os encontros ocorrem em Copacabana, Zona Sul, e na Barra da Tijuca, Zona Oeste, aos fins de semana. No mar de Copacabana, a atividade ocorre entre os postos cinco e seis, já na Barra, o projeto ocorre na altura do posto três.

Além de mergulhar, os cadeirantes também podem fazer atividades radicais. Nas aulas da Zona Sul, a novidade é o Stand Up Paddle adaptado. Na prancha, o banhista recebe ajuda da equipe e rema sentado.

Após passar por regiões consideradas nobres do rio de janeiro – Barra da Tijuca, Ipanema e Copacabana-, o projeto passou por uma área carente, o Piscinão de Ramos, localizado no subúrbio da Leopoldina. O encerramento contou com artistas como Dicró, Bhega e Murilo di Vangô, artistas da região, que proporcionaram momentos de diversão e cidadania.

O projeto praia para todos contribuiu fundamentalmente para mobilizar e despertar a sociedade, poder público e privado para o respeito à diversidade e favorecimento da acessibilidade.

O criador do projeto, Ricardo Gonzalez, ressalta que todos podem participar, já que a iniciativa é gratuita. “Dá para fazer o que quiser, lazer, esporte, convivência. Todos serão muito bem-vindos”, disse.

As cadeiras anfíbias voltam a dominar algumas praias na orla carioca durante o verão. O projeto Praia para Todos, do Instituto Novo Ser, retomou as atividades em dezembro e ficará até abril nas praias da Barra da Tijuca, no posto 3, Copacabana, entre os postos 5 e 6, e no novo point do projeto, no Leblon, em frente ao Quiosque Riba, desde o último sábado

 Das 9h às 14h, nos fins de semana, pessoas com deficiência podem entrar no mar e participar de esportes adaptados e atividades de lazer, tudo gratuito. Profissionais capacitados das áreas de educação física, fisioterapia e terapia ocupacional, além de estagiários e voluntários do instituto, coordenam as atividades.

Camila Vasconcellos, fisioterapeuta e uma das coordenadoras do projeto, que tem nove anos, diz que a cada edição aumenta o interesse dos usuários.

— A família se sente feliz levando os usuários. A sociedade tem mudado um pouco o comportamento, não tanto que eu gostaria, em relação às pessoas com deficiência. Na praia da Barra, os barraqueiros nos ajudam — disse Camilla.

Em nove anos de projeto, cerca de 5 mil pessoas já praticaram atividades no projeto. Outras 19 mil foram participaram indiretamente – como familiares, visitantes e profissionais da área.

De dezembro a fevereiro as atividades são o banho de mar assistido, piscina infantil (Barra e Copacabana), frescobol adaptado (Barra e Copacabana), vôlei sentado e surfe adaptado (Barra), stand up adaptado (Copacabana). De março a abril acontece somente o banho de mar assistido.

 Desde 2010 a Michelin apoia o Projeto Praia para Todos, que promove a acessibilidade nas praias cariocas: diversas atividades esportivas e de lazer são realizadas, sempre adaptadas para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Tudo é supervisionado por profissionais capacitados das áreas de educação física e fisioterapia, contando também com a presença de diversos voluntários.

A iniciativa tem como objetivo aumentar a integração da pessoa com deficiência com a natureza e o esporte, além de ser uma ferramenta importante para despertar a atenção da opinião pública para a falta de estrutura adaptada no espaço público.

Fonte de pesquisa:

Jornal O Globo

Você sabe o que diz a Lei de Acessibilidade?

pcd_02_02_16_
Foto retirada da internet

Acessibilidade para Deficientes – Adaptações e Normas de acessibilidade para deficientes.

A Coordenadoria Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência – CORDE, é o órgão de Assessoria da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, responsável pela gestão de políticas voltadas para integração da pessoa portadora de deficiência, tendo como eixo focal a defesa de direitos e a promoção da cidadania.

A Lei nº 7.853/89 e o Decreto nº 3.298/99 balizam a política nacional para integração da pessoa portadora de deficiência. Criando assim as principais normas de acessibilidade para deficientes.

A CORDE tem a função de implementar essa política e para isso, orienta a sua atuação em dois sentidos: primeiro é o exercício de sua atribuição normativa e reguladora das ações desta área no âmbito federal e, o segundo é desempenho da função articuladora de políticas públicas existentes, tanto na esfera federal como em outras esferas governamentais.

Se você tem um ponto comercial, seja uma loja de rua ou um shopping center, é essencial que ela esteja de acordo com as regras de acessibilidade prevista na legislação brasileira.

A lei nº 10.098 foi criada para estabelecer normas e critérios básicos para a promoção da acessibilidade para portadores de deficiência e pessoas com mobilidade reduzida. Ela determina, primordialmente, a remoção de barreiras e obstáculos em vias, espaços públicos e edificações.

O que é acessibilidade? A Lei de Acessibilidade define o termo como a “possibilidade e condição de alcance para utilização, com segurança e autonomia, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos transportes e dos sistemas e meios de comunicação, por pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida”.

O que são barreiras? A Lei de Acessibilidade considera como barreira qualquer obstáculo que impeça ou limite a movimentação em segurança das pessoas. Ela ainda classifica as barreiras em quatro categorias:

– Arquitetônicas urbanísticas: existentes nos espaços públicos;

– Arquitetônicas na edificação: encontradas dentro de edifícios, sejam eles públicos ou privados;

– Arquitetônicas nos transportes: verificadas nos meios de transporte;

– Nas comunicações: seriam os obstáculos que dificultam a troca de mensagens pelos meios de comunicação.

Os empreendedores também devem ficar atentos às regras de acessibilidade, pois elas valem também para empreendimentos de uso coletivo, como quaisquer atividades de natureza comercial, hoteleira, cultural, esportiva, financeira, turística, recreativa, social, religiosa, educacional, industrial e de saúde, inclusive as edificações de prestação de serviços.

– Todas entradas devem ser acessíveis;

– Toda edificação e estabelecimento deve ter sanitários acessíveis às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, possuindo 5% do total de cada peça (quando houver divisão por sexo), obedecendo ao mínimo de uma peça;

– É obrigatória a reserva de vagas em estacionamento de uso público para pessoas com deficiência próximas aos acessos de circulação de pedestres;

– O caminho entre o estacionamento e o acesso principal deve estar desbloqueado para portadores de deficiência.

É importante salientar que a adequação a estas normas depende do tipo de estabelecimento. Lojas no térreo não podem estar localizadas em um nível acima da calçada ou devem contar com rampas. Centros comerciais de mais de um andar devem ter elevadores.

Também é essencial que as edificações e estabelecimentos contem com sinalização adequada, não só para indicar banheiros e vagas especiais de garagem, mas também para proteção, orientação e mobilidade, o que ajuda, especialmente, pessoas com deficiência visual.

Para esses casos, é preciso instalar a sinalização tátil de piso, que consiste em: ser antiderrapante; ter textura contrastante em relação ao piso adjacente; ter cor contrastante para ser percebido por pessoas com baixa visão; atender as características de desenho, relevo e dimensões de acordo com a norma ABNT NBR 9050/04.

Adaptações para pessoas com Deficiência Física.

Dicas básicas

Percorra toda a empresa observando se:

As áreas de circulação estão sinalizadas com o Símbolo internacional de Acesso

Os trajetos para as diversas áreas da empresa estão livres de obstáculos (escadas) para o acesso das pessoas que utilizam cadeira de rodas

Todas as portas apresentam largura de no mínimo 0,80 m para garantir o acesso das pessoas que utilizam cadeira de rodas

Há portões laterais com largura mínima de 0,80m em locais de acesso com catraca

Os balcões de atendimento, inclusive automáticos, permitem a aproximação frontal de pelo menos uma cadeira de rodas e apresentam altura de 0,80m com altura livre mínima de 0,70m do piso

Os relógios de ponto estão a uma altura de 0,80m do piso

Os elevadores apresentam o Símbolo Internacional de Acesso fixados nas portas, possuem abertura de acesso de no mínimo 0,80m de largura e botoeiras com altura de no mínimo 0,80m e no máximo 1,20m

A disposição de mobiliários garantem área para a circulação plena de cadeirantes

Há reserva de vagas no estacionamento para pessoas portadoras de deficiência ambulatória, bem como sinalização com placas para identificá-las

Os banheiros da empresa estão adaptados, apresentando (Figura 01):

Porta de acesso de no mínimo 0,80m de largura;

Maçanetas do tipo alavanca;

Área suficiente para manobras de cadeirantes;

Barras laterais de apoio para usos de sanitários;

Altura da pia de 0,80m do piso e respeitando uma altura livre de 0,70;

Torneira do tipo pressão;

Borda inferior dos espelhos a uma altura de 0,90m do piso, podendo atingir o máximo de

1,10m e com inclinação de 10 graus;

Porta de acesso aos boxes dos banheiros de no mínimo 0,80m de largura;

Assentos das bacias sanitárias a uma altura de 0,46m do piso ou quando utilizada a plataforma para compor a altura estipulada, apresentar projeção horizontal da plataforma de no mínimo 0,05 m do contorno da base da bacia.

modelo_banheiro_figura01
Foto retirada da internet