Bailarinos superam deficiência e trazem alegria através da dança Por Suelen Bastos

A dança e a música tem potencial transformador na vida das pessoas. E é assim que cinco bailarinos deram um novo significado às dificuldades.

Carol Bahia; Dário Lekost; Cláudio Moreno; Sandra Santos e Renata Monnier adquiriram deficiência visual ao longo da vida. Mas aprenderam no coletivo Ver e Não Ver, a se conectarem de forma mais profunda por meio da arte.

A bailarina e idealizadora do coletivo, Leila Abraão, é especialista em recuperação motora através da dança, e ela explica que a inspiração para o projeto veio justamente por acreditar que as pessoas com deficiência visual podem desenvolver uma nova perspectiva através do toque, dos movimentos corporais e da sincronia em grupo.

O sucesso da iniciativa foi tão grande, que o espetáculo ‘Abraço’, criado por eles em junho do ano passado, foi selecionado para o festival social Tudanzas, em Barcelona, na Espanha, que começa no dia 27 de abril e vai até o dia 1º de maio.

Como os custos da viagem são muito altos, o coletivo Ver e Não Ver criou uma vaquinha online para cobrir parte do valor. Ate o momento, eles já receberam pouco mais de 4 mil reais, mas a meta é alcançar, pelo menos, R$ 9 mil reais.

Para acessar o link, clique aqui. benfeitoria.com/verenaover

http://bandnewsfmrio.band.uol.com.br

Deixe uma resposta