Aaron Philip: a modelo trans com deficiência que conquistou o mundo "Sou apenas uma adolescente tentando viver minha vida. Minha deficiência é uma parte de mim, mas não define toda a minha identidade", diz

Quem passou as férias em Nova York neste verão teve a chance de esbarrar com uma musa loira desfilando com sua cadeira de rodas pelas ruas de Manhattan. Aaron Philip, de 17 anos, é uma modelo negra, trans e com deficiência física que conquistou o mundo no ano passado ao compartilhar suas fotos em um post viral no Twitter: “Honestamente, quando uma agência de modelos me encontrar, significa que acabou para vocês. Eu represento a verdadeira inclusão e diversidade”.

As fotos foram retuitadas mais de 20 mil vezes e tiveram mais de 80 mil curtidas, além de vários comentários. As pessoas instantaneamente se apaixonaram pelo estilo de Aaron e pela sua energia que é transmitida até pelas imagens. E pessoalmente Aaron é exatamente assim: espontânea, com riso fácil e amável. Seus sonhos de ter sucesso e fama ocupam um lugar secundário na vontade de ajudar aos outros, especialmente por meio do seu trabalho.

Ela nasceu na ilha de Antígua, no Caribe, com paralisia cerebral tetraplégica, e foi para o Bronx aos três anos de idade. Desde criança, cresceu ansiosa para representar pessoas com deficiência.

Inclusive, lembra que ficou feliz e orgulhosa ao ver Kylie Jenner posando em uma cadeira de rodas na Interview Magazine, em 2015. “Quando era mais nova, fiquei empolgada pela imagem e representação [de pessoas com dificuldades de locomoção] porque todos só nos viam como usuários de cadeira de rodas. Mas não sabia como lidar com aquilo, porque eu não vi que Kylie Jenner estava usando nossa imagem como fetiche”, diz. E completa: “se ela não soube promover a inclusão há alguns anos, hoje, Aaron Philip certamente sabe”.

A modelo sempre sonhou ser uma estrela. “Queria fazer fotos para que pudesse me candidatar às agências, mas não estava recebendo o feedback que queria. Então decidi ir ao Twitter”, diz. “Tinha a intenção de fazer esse post, mas não esperava que isso explodisse do jeito que aconteceu”.

Para pessoas como Aaron, a indústria da moda não está evoluindo rápido o suficiente. Apesar do fato de as pessoas com deficiência representarem 15% da população global, a deficiência continua a ser um tabu frustrante quando se trata de discussões sobre diversidade, moda e beleza. “Somos negligenciados no espaço de beleza”, opina Aaron. “[O setor tem] a obrigação de criar espaços que sejam acessíveis, limpos, abertos e bem pensados para nós”.

Depois do sucesso do tuíte, ela já fez um ensaio para a Paper Magazine, para a Them e também participou de algumas campanhas. Se antes estava focada exclusivamente em assinar com uma agência de modelos, agora vê os benefícios de aproveitar as oportunidades que vieram após o post. “As pessoas me mostraram muita gentileza e eu devolvi. Às vezes tem ódio e negatividade, mas estou muito feliz para me importar com isso”, conta ela, que quer estudar fotografia para clicar e apoiar jovens com deficiência.

FONTE: Revista Glamour

Ver mais posts sobre: Curiosidades, Historia Tags: , , , ,

Ricardo
Falar sobre si não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Acho que por isso mesmo adiei tanto a atualização dessa página! Mas vamos tentar né? Você já teve a chance de conviver com um capricorniano? Pois é, aquele jeito louco, sonhador, aventureiro, e nem sempre com os dois pés no chão… Esse sou EU! Ricardo Tostes Pinto Perdigão, ou pra vocês, apenas Ricardo Tostes.

Deixe uma resposta