Conheça e saiba como dirigir um carro adaptado para paraplégicos

Por lei, pessoas com deficiência (PCD) têm isenção de tributos como ICMS e IPI na hora de comprar automóveis zero km. Para carros que custam até R$ 70 mil, os descontos são muito atraentes. (clique aqui para ler o post top 10: carros mais baratos para PcD).

 

Mais fiquem ligados: os custos não podem parar por aí, já dependendo do tipo de deficiência é necessário gastar mais para adaptar alguns comandos do automóvel, como volante e pedais.

Além desse custo adicional, o deficiente também precisa de um tem para se adaptar ao jeito diferente de dirigir. Paraplégicos, por exemplo, podem dirigir usando apenas as mãos, acelerando e freando, dede que o modelo tenha cambio automático. Mas como é isso?

ACELERANDO E FREANDO COM A MÃO

Reportagem do site Uol carros onde eles tiveram a oportunidade de passar alguns dias com um Honda WR-V adaptado justamente para ter a sensação de como é guiar sem usar os pés.

O WR-V em questão trazia um equipamento chamado “comando manual”, que consiste em um conjunto de varões conectados aos pedais e a uma alavanca na parte de trás do volante, geralmente posicionado ao lado esquerdo, liberando a mão direita para tarefas como acionar o freio de estacionamento e operar os comandos do ar-condicionado, por exemplo.

 Na teoria, o funcionamento é bastante simples: para acelerar, basta puxar a alavanca; pressionando-a em direção ao painel, o carro freia. Dirigir desse jeito exige literalmente  um reaprendizado. O mais difícil é “pegar a manha” e conseguir controlar corretamente a modulação do acelerador aos freios.

 Uma roldana presa à direção ajuda a executar manobras com apenas uma das mãos. É preciso ter coordenação, especialmente os destros – embora exista margem para personalização do equipamento, que inclui troca da posição da alavanca para os canhotos.

E A LEI?

 De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), conforme previsto no Artigo 252, dirigir com apenas uma das mãos, desde que seja para acionar equipamentos e acessórios do veiculo, não configura infração de trânsito.

A adaptação do WR-V foi feita por uma empresa especifica e custa R$ 1.360,00 para o WR-V. Em veículos da Honda, o equipamento não pode ser adquirido diretamente na concessionaria – é preciso providenciar a adaptação por conta após a compra do veiculo.

Com preço tabelado em R$ 83.400, o WR-V EXL, com cambio CVT, sai por R$ 74,522,47 com pintura solida – desconto de quase R$ 9 mil é referente apenas à isenção de IPI, enquanto o ICMS é recolhido normalmente, por ultrapassar o teto imposto pela lei, de R$ 70 mil.

VEJA DETALHES DO HONDA WR-V ADAPTADO

FONTE: Uol Carros  

Ver mais posts sobre: Dicas Tags: , , , ,

Ricardo
Falar sobre si não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Acho que por isso mesmo adiei tanto a atualização dessa página! Mas vamos tentar né? Você já teve a chance de conviver com um capricorniano? Pois é, aquele jeito louco, sonhador, aventureiro, e nem sempre com os dois pés no chão… Esse sou EU! Ricardo Tostes Pinto Perdigão, ou pra vocês, apenas Ricardo Tostes.

Deixe uma resposta