Tatuagem inteligente muda de cor para indicar desidratação e diabetes

Ao sinal de alguma fraqueza o mal-estar, confira a tatuagem. Se ela tiver mudado de cor, é porque houve alterações no sangue e há necessidade de cuidados. É isso o que faz uma tinta inteligente para tatuagens desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Harvard e do MIT (Massachusetts Institute of Technology).

A tinta possibilita monitorar a saúde e indicar, por exemplo, se a pessoa tatuada está desidratada ou com alta concentração de açúcar no sangue – no caso de diabéticos. A ideia dos pesquisadores ao desenvolverem a tecnologia foi a de radicalizar o conceito de wearables — as tecnologias vestíveis que estão na crista da onda da inovação. E, claro, aplicar a ideia na saúde.

A tatuagem inteligente superaria desvantagens dos atuais dispositivos wearable. Além de se integrar totalmente ao corpo, não dependeria de baterias e de internet. Chamado de “Dermal Abyss”, o produto ainda está em desenvolvimento.

Entre os aspectos que requerem aperfeiçoamento está a própria cor e tom da tinta, que não pode ficar mais fraco e nem espalhar para o entorno do tecido.

Testadas em pele de porco, as tintas de tatuagem mudam de cor de acordo com as condições químicas do fluído interno da pele, que indicam a composição do sangue. Os pigmentos criados pelo grupo de cientistas mudam de verde para marrom quando aumenta a concentração de glicose (indicação de crise de diabetes), ou de verde menos intenso para mais intenso quando aumenta a concentração de sódio, (que indica desidratação).

Veja no GIF uma simulação da tatuagem inteligente funcionando:

Tatuando doenças?

Ao mesmo tempo que promete amplas aplicações, a tatuagem inteligente levanta debates éticos. Um deles envolve o quanto as pessoas estariam dispostas a ter informações de saúde tatuadas no corpo e exibidas para que todos vejam.

Uma possível forma de solucionar esse dilema é a criação de uma tinta inteligente invisível, que muda de cor para indicar problemas no corpo, mas que só é legível sob tipos específicos de luz. Para facilitar a consulta à tatuagem – facilidade essa que dá sentido à tecnologia –, a tattoo poderia se tornar visível com a luz emitida por um smartphone.

As tatuagens podem ser duradouras, para monitorar condições crônicas, ou temporárias, para monitoramento de doenças de menor duração. O uso vai de pacientes normais a astronautas, que checam as condições de saúde.

Fonte: Paraíba.com.br

Ver mais posts sobre: Tecnologia Tags: , ,

Ricardo
Falar sobre si não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Acho que por isso mesmo adiei tanto a atualização dessa página! Mas vamos tentar né? Você já teve a chance de conviver com um capricorniano? Pois é, aquele jeito louco, sonhador, aventureiro, e nem sempre com os dois pés no chão… Esse sou EU! Ricardo Tostes Pinto Perdigão, ou pra vocês, apenas Ricardo Tostes.

Deixe uma resposta