LONDRES – CIDADE ACESSÍVEL Considerada uma das cidades mais influentes do mundo – ao lado de Nova York, Paris e Tóquio -, Londres tem muito a ensinar quando o assunto é acessibilidade.

Viajar é um enorme desafio para quem tem dificuldades para se locomover ou para os que precisam fazê-lo sobre uma cadeira de rodas (E de carona, os turistas que carregam bagagem, sem grana para taxi). Felizmente o cenário tem melhorado bastante, quer por conscientização ou por força de lei, e não falta muito para que todos possam desfrutar da liberdade de ir e vir. Enquanto o panorama não muda totalmente, pesquisar bastante ainda é a maneira de tornar o passeio viável.

 

Uma grata surpresa é saber que Londres conta com uma boa quantidade de estações de metrô adaptadas tornando essa mais que atraente cidade um fantástico destino turístico acessível a todos desejem conhecê-la.

 

O metrô mais antigo do mundo tem se esmerado em adaptar suas estações para melhor servir a esse público. Com uma enorme rede, é claro que muito ainda precisa ser feito, mas aumenta com velocidade a quantidade de acessos modernizados em que não se precisa encarar uma escadaria.

 

Quem pretende visitar, por exemplo, o Big Ben, Houses of Parliament ver a ponte de Westminster, a Ponte de Londres, ou os modernos prédios em Canary
Wharf pode ir com a certeza que vai entrar e sair com tranqüilidade de algumas das estações da Jubilee Line. Os novos trens que servem essa linha contam com espaços específicos para cadeiras de rodas em seus vagões.

 

O sítio da Companhia de Transportes de Londres disponibiliza além da lista de estações adaptadas para cadeirantes, informações detalhadas como a quantidade de degraus nos acessos às estações. Deficientes visuais podem lançar mão dos arquivos de áudio (em inglês) com descrições detalhadas dos acessos.

 

São notícias animadoras. É bom lembrar também que em Londres todos os ônibus, com exceção de alguns modelos antiguinhos que rodam nas linhas 9 e 15, são adaptados. Alguns possuem rampas retráteis, mas a maioria tem acesso exatamente no nível da calçada permitindo com facilidade a entrada e saída de pessoas com dificuldade de locomoção, cadeiras de rodas ou carrinhos de bebês.

Frota de ônibus é 100% acessível

O London Buses, serviço de ônibus londrino, transporta 6,4 milhões de passageiros em dias úteis. São mais de oito mil ônibus, todos eles completamente acessíveis desde 2009. Além das plataformas elevatórias para cadeirantes, a frota é equipada com um sistema de aviso sonoro e visual que contém um mapeamento de todas as linhas e paradas, mantendo o passageiro informado durante todo o trajeto.

Para muitas pessoas com deficiência, esse é o sistema de transporte favorito na cidade, pela agilidade, facilidade e conforto oferecidos. Uma dica é fazer uso do Google Maps, que indica rotas tanto para ônibus como para o metrô.

Pedestre também encontra facilidades

Para quem se locomove a pé e tem deficiência visual, por exemplo, Londres se adapta para garantir a segurança. Nas calçadas, é comum encontrar pisos táteis, uma espécie de faixa de segurança para o deficiente visual. O sistema conta com um piso emborrachado e tem círculos em relevo para indicar caminhos seguros e livres de obstáculos, além da distância para a via.

Nos semáforos, há orientação visual e, em outros casos, sonora. Mas as adaptações não se resumem a isso: um dispositivo instalado nas calçadas contém uma espécie de cone para informar ao deficiente visual se é possível atravessar. Quando o cone está girando, indica que o sinal está aberto para o pedestre. Detalhes como esse, apesar de simples, fazem a diferença na vida de quem precisa se locomover sozinho na cidade.

Pontos turísticos adaptados

O turista com mobilidade reduzida encontra uma série de facilidades nos pontos turísticosda cidade. Antes de planejar suas visitas, no entanto, aconselhamos consultar o site oficial da atração, pois a grande maioria reúne informações específicas de acessibilidade.

Nem todos os pontos turísticos são perfeitamente adaptados, até porque, em alguns lugares, não há estrutura física para isso. Entre tantas atrações, indicamos algumas que se destacam pela acessibilidade:

British Museum

O museu reúne mais de oito milhões de peças históricas, num acervo que abrange toda a humanidade. É possível acessar praticamente todos os espaços por meio de elevadores. Além de mapas e folhetos, há opções para pessoas com deficiências auditiva e visual, como guias sonoros e intérpretes – esse serviço é padrão em quase todos os museus da cidade. Os cães guias tem entrada permitida no Museu.

London Eye

A roda gigante mais famosa do mundo também é acessível a pessoas com deficiência. A segurança é garantida, pois os funcionários param o equipamento quando um cadeirante vai acessar. Uma das facilidades é o bilhete “fast track”, oferecido a pessoas com deficiência e a idosos, que evita filas e agiliza o processo. Se possível, procure reservar o bilhete por antecipação no site.

Hampton Court Palace

Um pouco afastado do centro de Londres, o palácio oferece um serviço especial para quem é cadeirante. É possível reservar uma cadeira de rodas elétrica por antecipação, que será manobrada por voluntários durante a visita de duas horas pelo palácio. A integração é um dos diferenciais da atração, já que os voluntários costumam ser receptivos e calorosos.

Ver mais posts sobre: Dicas, Vida Tags: , ,

Ricardo
Falar sobre si não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Acho que por isso mesmo adiei tanto a atualização dessa página! Mas vamos tentar né? Você já teve a chance de conviver com um capricorniano? Pois é, aquele jeito louco, sonhador, aventureiro, e nem sempre com os dois pés no chão… Esse sou EU! Ricardo Tostes Pinto Perdigão, ou pra vocês, apenas Ricardo Tostes.

1 comentário em “LONDRES – CIDADE ACESSÍVEL Considerada uma das cidades mais influentes do mundo – ao lado de Nova York, Paris e Tóquio -, Londres tem muito a ensinar quando o assunto é acessibilidade.

  1. Jose Dias Katumbela disse: 26/02/2018

    Eu gosto muito de ver essa linda cidade de Londres porque e o meu sonho de um dia pisar nessa cidade de Londres

Deixe uma resposta