COMO É A CIRURGIA DE ESCOLIOSE!

Quando uma criança apresenta padrões anormais de postura, de movimento e de equilíbrio, com tonûs postural anormal, os cuidados devem ser redobrados.

A escoliose com curvatura acentuada pode causar dor e desconforto, principalmente dificuldade em se manter sentado na cadeira de rodas, além disso, a capacidade pulmonar fica comprometida e há aumento de ocorrências de infecções e pneumonia, e também a dificuldade durante a alimentação com aumento de refluxo e mal estar. Pode haver também deslocamento do quadril com deformidade e dor na região. Crianças com 7-8 anos com curvatura acima de 40 graus geralmente tem indicação da cirurgia.

Além dos pontos citados acima, outros fatos devem ser levados em consideração para a decisão da cirurgia: idade, risco de progressão, flexibilidade da curva, graus da curva e se há opções de tratamento não cirúrgicos.

Com prevenção deve-se tomar muito cuidado com a adequação postural correta na cadeira de rodas, cadeira de carro e demais recursos que ajudam a posicionar a criança. Além disso, a fisioterapia e a terapia ocupacional devem ser frequentes e a criança bem trabalhada para melhorar o tonûs muscular, o alinhamento e a musculatura, com técnicas de inibição, facilitação e estimulação de padrões de movimento mais próximos do normal. É necessário expandir esses cuidados da terapia para a escola e a casa, orientando a família e os cuidadores.

Raio X de um paciente com escoliose

 

Consulta periódicas com o ortopedista são muito importante.

A cirurgia de escoliose é bem complexa e exige um pós – operatório bem delicado e extenso.

Por isso enfatizo: a prevenção é o melhor caminho 

Ver mais posts sobre: Vida Tags: , , , ,

Ricardo
Falar sobre si não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Acho que por isso mesmo adiei tanto a atualização dessa página! Mas vamos tentar né? Você já teve a chance de conviver com um capricorniano? Pois é, aquele jeito louco, sonhador, aventureiro, e nem sempre com os dois pés no chão… Esse sou EU! Ricardo Tostes Pinto Perdigão, ou pra vocês, apenas Ricardo Tostes.

Deixe uma resposta