Eu sou singular, eu sou novo

Eu sou singular, eu sou novo

Eu gostaria de saber se você é também

Eu ouço vozes no ar

Eu vejo que você não, e isso não parece justo

Eu gostaria de não me sentir triste

Eu sou singular, eu sou novo

Eu finjo que você também é

Eu me sinto como um menino no espaço sideral

Eu toco as estrelas e me sinto fora de lugar

Eu me preocupo com o que os outros podem pensar

Eu choro quando as pessoas riem, isso me faz encolher

Eu sou singular, eu sou novo

Eu entendo agora que você também é

Eu digo ‘Eu me sinto como um rejeitado’

Eu sonho com o dia em que isso será ok

Eu tento me encaixar

Eu espero conseguir um dia

Eu sou singular, eu sou novo

‘Por que eu vivo procurando um motivo de viver,

Se a vida às vezes parece de mim esquecer?

Procuro em todas, mas todas não são você.

Eu quero apenas viver, se não for para mim, que seja pra você.

Mas às vezes você parece me ignorar,

Sem nem ao menos me olhar,

Me machucando pra valer.

Atrás dos meus sonhos eu vou correr…

Eu vou me achar, pra mais tarde em você me perder.

Se a vida dá presente pra cada um, o meu, cadê?

Será que esse mundo tem jeito?

Esse mundo cheio de preconceito.

Quando estou só, preso na minha solidão,

Juntando pedaços de mim que caíam ao chão,

Juro que às vezes nem ao menos sei, quem sou.

Talvez eu seja um tolo, que acredita num sonho.

Na procura de te esquecer, eu fiz brotar a flor.

Para carregar junto ao peito,

E crer que esse mundo ainda tem jeito.

E como príncipe sonhador…

Sou um tolo que acredita, ainda, no amor.”

Ver mais posts sobre: Poemas Tags: , ,

Ricardo
Falar sobre si não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Acho que por isso mesmo adiei tanto a atualização dessa página! Mas vamos tentar né? Você já teve a chance de conviver com um capricorniano? Pois é, aquele jeito louco, sonhador, aventureiro, e nem sempre com os dois pés no chão… Esse sou EU! Ricardo Tostes Pinto Perdigão, ou pra vocês, apenas Ricardo Tostes.

Deixe uma resposta